Moi, Corinne Dadat

texto e conceçãoMohamed el Khatib (França)
30 nov - 1 dez 2018
sex, 21h > sáb, 19h
Sala Garrett
Espetáculo falado em francês, com legendas em português.

texto e conceção Mohamed El Khatib
com Corinne Dadat, Elodie Guézou e Mohamed El Khatib
ambiente numérico Benjamin Cadon, Franck Lefèvre
ambiente sonoro Raphaelle Latini e Arnaud Léger
ambiente luz Frédéric Hocké
fotógrafa associada Marion Poussier
produção Zirlib
coprodução Tandem Douai-Arras Scène nationale, Théâtre d’Orléans – Scène nationale, La Rose des Vents – Scène nationale Lille Métropole Villeneuve d’Ascq, Scène nationale de Sète et du Bassin de Thau, Les Treize Arches - Brive, Culture O Centre, Centre Chorégraphique national d'Orléans, le Quai des Arts - Argentan
com a participação de DICRéAM, Digital Airways, Mécènes de Normandie
com o apoio Institut Français e da Embaixada de França em Portugal
a classificar pela CCE
O retrato de uma mulher "invisível".
____

Nascido do encontro entre o autor Mohamed El Khatib e Corinne Dadat, empregada doméstica, este poema cénico abraça a ficção e o documentário. Moi, Corinne Dadat é o retrato de uma mulher "invisível”. Revelam-se instantâneos da vida, testemunhos da língua e dos corpos que são maltratados, do mundo operário no trabalho, mas também da família e da esfera doméstica. Uma história íntima da classe popular.

Relacionado