Parlamento Elefante

criaçãoEduardo Molina, João Pedro Leal e Marco Mendonça
10 - 19 mai 2019
qua e sáb, 19h30 > qui e sex, 21h30 > dom, 16h30
Sala Estúdio
criação Eduardo Molina, João Pedro Leal e Marco Mendonça
com Eduardo Molina, João Pedro Leal, Marco Mendonça e Mestre André
cenografia e figurinos António MV
desenho de luz Rui Monteiro
sonoplastia Mestre André
apoio à dramaturgia Alex Cassal
assistência ao desenho de luz Teresa Antunes
direção de produção Mónica Talina (Teatro do Vão)
direção técnica e apoio à produção Carolina Caramelo
produção Teatro do Vão
coprodução TNDM II, Centro Cultural Vila Flor e O Espaço do Tempo
apoio à criação Fundação GDA

Espetáculo criado com o apoio da Bolsa Amélia Rey-Colaço, uma iniciativa do TNDM II, Teatro do Vão, Centro Cultural Vila Flor e O Espaço do Tempo

M/12

Três datas de nascimento abrem caminho a uma reflexão sobre o século XX. De Che Guevara ao Capitão América, dos Beatles aos United Nations, de Gandhi a Quentin Tarantino, dos atores ao público, todos se reúnem para forjar leis universais, colaborar em conflitos de interesse, manipular massas, falsificar assinaturas e outros planos maléficos. Agachados numa trincheira ou sentados numa conferência das Nações Unidas, o assunto mantém-se: Democracia.
Articulando a reflexão política e histórica, a proposta dramatúrgica de Parlamento Elefante foi a vencedora da muito concorrida primeira edição da Bolsa Amélia Rey Colaço (2018), criada com o objetivo de promover a renovação da criação teatral portuguesa, numa aliança construída entre o Teatro Nacional D. Maria II, o Centro Cultural Vila-Flor, O Espaço do Tempo e, na edição de 2019, também o Teatro Viriato.
 
 
Conversa com artistas após o espetáculo
12 mai