Topografia

criação coletivaTeatro da Cidade
integrado noCiclo Recém-nascidos
16 - 17 set 2017
sáb, 19h30 > dom, 17h
Sala Estúdio
Levantamento de bilhetes na bilheteira do D. Maria II, a partir das 14h, para as sessões do próprio dia. Limite de 2 bilhetes por pessoa, para uma atividade à escolha, sujeito à lotação disponível. Não se aceitam reservas de lugares.


criação coletiva Teatro da Cidade
com Bernardo Souto, Guilherme Gomes, João Reixa, Nídia Roque, Rita Cabaço 
desenho de luz e sonoplastia Rui Seabra, Teatro da Cidade
produção Teatro da Cidade
M/12

Numa cave, um ideal.
___

Há num prédio, um governo. Numa fábrica, uma prisão. Numa cave, um ideal. Com recurso a uma série de quadros originais, o Teatro da Cidade, uma das mais recentes companhias de Lisboa, que fez a sua estreia com uma encenação de Os Justos, de Albert Camus, no Teatro do Bairro Alto, propõe-se a refletir sobre as fronteiras do conceito de Comunidade.

Em Topografia, exploram o modo como individualmente nos integramos nela, o movimento que nos faz invisíveis numa multidão, e o prazer que isso nos pode fazer sentir. Um espetáculo onde observamos como o indivíduo com uma identidade diferente se mostra fundamental na formação de uma consciência coletiva.



[Ciclo Recém-nascidos]
O D. Maria II volta a abrir a temporada com a aposta em novos projetos das mais jovens companhias e criadores em Portugal. Este ano, o espaço para as primeiras obras vai ainda atravessar fronteiras: o Ciclo Recém-nascidos conta com um espetáculo do coletivo italiano Sotteraneo.

Relacionado