As três sozinhas

direção artísticaAnabela Almeida, Cláudia Gaiolas e Sílvia Filipe
4 - 14 jul 2019
qua e sáb, 19h30 > qui e sex, 21h30 > dom, 16h30
Sala Estúdio
direção artística e interpretação Anabela Almeida, Cláudia Gaiolas, Sílvia Filipe
figurinos José António Tenente
desenho de luz Daniel Worm d’ Assumpção
sonoplastia Teresa Gentil
dramaturgia Alex Cassal
pesquisa Judite Canha Fernandes
produção executiva Daniela Ribeiro
coprodução TNDM II, teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser 

O teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser é uma estrutura financiada pela República Portuguesa - Cultura / DGArtes

Residência de criação Espaço do Tempo, Montemor-o-Novo

Espetáculo inserido na programação da edição de 2019 do Festival Internacional de Teatro de Almada 
De Circe a Medeia, com Sereias, Hárpias e Górgonas. Mais as três Moiras e a madrasta da Branca de Neve, Joana D’Arc e Ana Bolena. E Capicua, Elza Soares e Patti Smith, Pussy Riot, Femen e Guerrilla Girls. Sem esquecer Maria Lamas, Carolina Beatriz  ngelo e Maria Judite de Carvalho. Convocando Frida Kahlo e Agnès Varda, Virginia Woolf  e Anna Akhmátova, Isadora Duncan e Marina Abramovic. Invocando Judite com a espada de Holofernes, Lorena Bobbitt com uma faca de cozinha, Valerie Solanas com uma pistola. Lembrando Eastwick, Salem e Aljezur, o Relatório Hite, o Teste Bechdel e o Ponto G. E ainda Simone de Beauvoir, Camille Paglia, Judith Butler, Angela Davis, Virginie Despentes, Betty Friedan, Maya Angelou, Rebecca Solnit, Malala Yousafzai, Gloria Steinem, Chimamanda Ngozi Adichie. A lista é interminável, uma longa espiral de mulheres a girar em torno de uma clareira na floresta à noite. Elas estão em chamas.

Relacionado