Insuflável

criação e encenaçãoJoão de Brito
9 - 12 mai 2019
qui e sex, 11h e 15h > sab, 17h > dom, 16h
Sala Garrett
criação e encenação João de Brito
dramaturgia Joana Bértholo
com João Pedro Dantas, Leonor Keil e Manuela Pedroso
cenografia Virgínia Silva (Cuca) 

direção de produção Sandro Benrós
produção executiva Margarida Mata
fotografia Mariana Silva
vídeo Diogo Simão

Estrutura financiada pela República Portuguesa - Cultura / DGArtes e apoiada pela Câmara Municipal de Faro.

Espetáculo estreado a 22 de março de 2019 no CAPA (Faro).

A classificar pela CCE
Ar no corpo ou corpo no ar? Como é que se enche um corpo? Como é que se vaza um corpo? Quero esticar o meu corpo, mas não sei a que horas vai acontecer, quero encolher o meu corpo, mas o mês nunca mais chega. Como é que se cresce? O corpo em forma de balão, cabeça em turbilhão, ar que levamos na mão, é hoje, amanhã ou então? Insuflável é uma metáfora sobre o crescimento. Quando é que se começa a insuflar? Quando é que se começa a querer desinsuflar? Insuflável vem do acto de insuflar ou encher, ou ficar túrgido, ou empolado, ou inchado, ou avolumado, ou exagerado, ou afetado, que causa desgosto, ou aversão, ou ódio, ou animosidade, ou coragem, que causa constância, firmeza, estabilidade, equilíbrio.