Malfadadas

deAldina Duarte, Filipe Raposo, Isabel Abreu e Miguel Loureiro
20 - 28 jul 2019
qua e sáb, 19h > qui e sex, 21h > dom, 16h
Sala Garrett
criação Aldina Duarte, Filipe Raposo, Isabel Abreu e Miguel Loureiro
texto Miguel Loureiro, com excertos de Sophia de Mello Beyner, Eurípedes, Eugene O’Neill, Tennessee Williams
com Aldina Duarte, Filipe Raposo, Isabel Abreu
música original
Filipe Raposo
figurinos Ricardo Preto
desenho de luz Daniel Worm d’Assumpção
desenho de som Pedro Costa
coordenação de produção Manuel Poças
fotografia promocional Rui Aguiar
coprodução TNDM II, Pueblozito
apoio Sociedade Portuguesa de Autores

M/14

duração 1h17


Espetáculo falado em português com legendas em inglês e francês.
A memória evanescente de Eurídice, a sombra negra de Medeia, a alienação de Mary Tyrone e aquilo que ainda nos resta de Blanche DuBois. Fados/vidas que nos devolvem as impressões e a palavra de figuras tutelares femininas do teatro e da mitologia literária.
Um objeto que cruza as vozes de Aldina Duarte e Isabel Abreu num território de confluências, presságios, maldições e quase-retratos fracionários destas figuras de ficção que há tanto tempo nos acompanham, destas artistas também, destas histórias, da nossa forma de as ler, de as ligar, religar ou desligar, com este chão que nos sustém a todos: o palco. Figuras arquetípicas, textos matriciais, e duas mulheres sempre dispostas a elaborar no risco, no incerto, no apenas-pressentido.
Uma galeria?
Uma coleção?
Um alfabeto?
Aldina.
Isabel.
 
 
Conversa com artistas após o espetáculo
21 jul