Os Juramentos indiscretos

deMarivaux
encenaçãoJosé Peixoto
28 nov - 15 dez 2013
4.ª 19h
5.ª a sáb. 21h 
dom. 16h
Sala Garrett
de Marivaux
tradução Maria João Brilhante
encenação José Peixoto
cenografia Marta Carreiras
conceito de figurinos Marta Carreiras a partir dos figurinos do espólio do TNDM II de Abílio Matos e Silva, Catarina Amaro, Nuno Carinhas, Octávio Clérigo, Ruy de Matos
desenho de luz Jochen Pasternacki
música Luís Cília
assistência de encenação Anna Eremin
com Adriana Moniz, Carla Chambel, Carlos Malvarez, Jorge Silva, José Peixoto, Nuno Nunes, Sara Cipriano
coprodução Teatro dos Aloés, TNSJ
M/12

Conforme as regras do séc. XVIII, dois jovens são destinados um ao outro para fazerem um casamento programado pelos pais sem o seu conhecimento e no interesse das respetivas famílias. Numa atitude de irreverência e revolucionando os costumes da época, decidem encontrar-se para declararem a respetiva indisponibilidade para esse casamento. Nesse encontro, porém, são surpreendidos pelo estranho sentimento de não aceitação da rejeição proposta pelo outro. Todo o resto da história é a tentativa da manutenção da fidelidade à palavra dada e a resistência a um amor que se vai impondo à maneira que se vão tentando explicar e supostamente afastar. Nesta luta entra uma irmã que se põe entre o par amoroso e vai fazendo crescer o ciúme e o sofrimento de amor. Entram uns criados que defendem os interesses dos amos enquanto defendem os seus. Resta analisar se as famílias não continuam a controlar e a conduzir os nossos afetos e as sociedades a condicionar as nossas opções.