Coriolano

deWilliam Shakespeare
encenaçãoNuno Cardoso
9 jan - 2 fev 2014
4.ª 19h
5.ª a sáb. 21h 
dom. 16h

Sala Garrett
de William Shakespeare
tradução Fernando Villas-Boas
encenação Nuno Cardoso
cenografia F. Ribeiro
desenho de luz José Álvaro Correia
música Rui Lima, Sérgio Martins
assistência de encenação e movimento Victor Hugo Pontes
com Albano Jerónimo, Afonso Santos, Ana Bustorff, António Júlio, Catarina Lacerda, Daniel Pinto, João Melo, Luís Araújo, Mário Santos, Pedro Frias, Ricardo Vaz Trindade, Rodrigo Santos, Sérgio Sá Cunha
guarda-roupa Alejandra Jaña
apoio dramatúrgico Ricardo Braun
apoio vocal Sara Belo
produção executiva Carla Moreira
assistente de produção Alexandra Novo
gestão e administração Hélder Sousa
coprodução TNDM II, TNSJ, Ao Cabo Teatro, Teatro do Bolhão e Centro Cultural Vila-Flor
M/12
"A fome é grande, o povo está revoltado”, a tensão escala e Caio Márcio Coriolano é acusado de "privar Roma do velho serviço público”. Protagonista antipático que a genialidade de Shakespeare torna simpático a nossos olhos, Coriolano é sucessivamente o bravo guerreiro e o político relutante (refratário ao mediatismo, diríamos nós hoje), o banido traidor à pátria e o regressado herói piedoso, que morre às mãos dos conspiradores, uma morte chocante, isenta de retórica e sentimentalismo. Peça aclamada pelas suas admiráveis peculiaridades – a última das tragédias de Shakespeare ou a melhor das suas comédias? –, Coriolano foi escrita em 1607-8, quando o autor se divertia a experimentar as zonas de fronteira dos géneros dramáticos. Com Ricardo II (2007) e Medida por Medida (2012), o encenador Nuno Cardoso começou a contagem decrescente para a peça política do cânone shakespeariano, aquela de onde emerge, do fundo da polifonia de argumentos irredutíveis e contraditórios entre si, a pergunta que sempre nos colocamos: quem queremos e como queremos ser governados? Com este espetáculo, a Ao Cabo Teatro reincide numa escala de produção que contraria a "míngua que nos aflige”, arriscando erguer-se alguns palmos acima da "visão da nossa pobreza”.


Shakespeare em versão dupla: Na compra de um bilhete para o espetáculo ‘Coriolano’, terá direito a um desconto de 30% para o espetáculo ‘Como Queiram’, no Teatro São Luiz (em cena de 14 a 26 de janeiro). Válido de 6.ª feira a domingo.



  sessão com interpretação em língua gestual portuguesa | 2 FEV 2014 às 16h
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
©Victor Hugo Pontes
1/12