A Laura quer!

direção artística e coreografia Sílvia Real
8 dez 2019 - Cine Teatro Avenida, Castelo Branco (PT)
direção artística e coreografia Sílvia Real 
coreografia Francisco Camacho
cocriação e interpretação Afonso Ramires, Beatriz Valentim, Gaspar Menezes, Inês Trindade, Jade Mandillo, Lua Areal, Magnum Soares, Miguel Ferreira, Sílvia Real, Vasco Sequeira e Violeta Guerreiro
composição musical e interpretação ao vivo Afonso Minderico, André Ferreira, Sofia Pelágio e Vasco Sequeira 
direção musical Ana Sofia Sequeira 
figurinos e adereços Carlota Lagido 
desenho de luz Frank Laubenheimer  
investigação / direitos humanos Simone Andrade  
assistentes de direção musical Jasmim Mandillo e Vasco Sequeira
produção executiva Sofia Afonso 
comunicação Susana Ribeiro Martins 
produção Real Pelágio
coprodução TNDM II, Câmara Municipal de Castelo Branco, Festival Verão Azul, Festival Músicas do Mundo de Sines

A classificar pela CCE

duração 70 min. (aprox.) 

A associação Produções Real Pelágio é uma estrutura artística financiada pela República Portuguesa - Cultura / DGArtes e pela Câmara Municipal de Lisboa e apoiada pela SIB A Voz do Operário.

Espetáculo a estrear a 27 de outubro de 2019 no Festival Verão Azul, no Cine-Teatro Louletano, em Loulé.
No início foi a urgência de um impulso, o de Sílvia Real, coreógrafa, pedagoga, mãe, de se refugiar na dança, simplesmente pelo prazer de dançar, sem planos. Depois vieram as crianças, que já lá estavam, cresciam, e queriam falar e ser ouvidas sobre as suas mais profundas inquietações e medos. Da observação dos seus diálogos e dos ecos da sociedade sobre a infância e o crescimento, surgiu como proposta de improvisação a pergunta "O que queres ser quando fores grande?”, sobre a qual se foram lentamente depositando outras questões, não menos desafiantes, explicitadas pelo grupo. A partir desta estrutura sedimentar, definiu-se o gesto: dar a mão a quem habita o incómodo lugar da adolescência. 

Fazê-lo de igual para igual, sem lições nem direções, caminhando juntos, questionando papéis e estereótipos, assumindo a deriva. E embarcar nela na companhia do coreógrafo Francisco Camacho, um olhar exterior, experiente e cúmplice, com quem Sílvia Real partilha afinidades artísticas nascidas de um feliz encontro proposto e testemunhado por Mónica Lapa nos idos anos 90, eram ambos ainda jovens profissionais da dança em Portugal.
 
Tal como também hoje o são os dois jovens intérpretes que integram o elenco desta nova criação do Grupo 23: silêncio! e que, com os mais novos do grupo, completam um arco de diferentes gerações presentes em palco, num espetáculo virado para o futuro e dirigido a todos os públicos.
 
Mas que futuro será este, ancorado nas incertezas deste intenso agora? Nos tempos de desassossego em que vivemos, já não é possível sonhar uma identidade pessoal sem atender aos destinos coletivos. Eis a terceira linha de força deste trabalho que aqui vos apresentamos, ao cabo de um longo e lento processo de co-criação: desafiando a evidente opressão, ousamos ouvir o silêncio, expandir o espaço, e gerar uma energia pulsante para enfim imaginarmos juntos o lugar de cada um na história que hoje se escreve, e na qual todos somos chamados a inscrever-nos. Uma história que necessariamente teremos de construir mais justa, sustentável e pacífica, contra o medo de co-existir.