A menor língua do mundo

deAlex Cassal e Paula Diogo
5 - 15 mar 2020
qua e sáb, 19h30 > qui e sex, 21h30 > dom, 16h30
Sala Estúdio
texto e encenação Alex Cassal, Paula Diogo 
com Bibi Dória, Sílvia Filipe e Zia Soares 
direção musical e interpretação ao vivo João Lopes Pereira
cenografia F. Ribeiro 
desenho de luz Wilma Moutinho 
assistência de cenografia Elsa Mencagli 
registo audiovisual Leonor Castro Guerra 
produção executiva Vanda Cerejo 
apoio à pesquisa CIDLES Centro Interdisciplinar de Documentação Linguística e Social 
apoio à criação Parque de Natureza de Noudar, Câmara Municipal de Miranda do Douro e Alkantara
residências artísticas Alkantara e Biblioteca de Marvila (CML).
produção Materiais Diversos
coprodução Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Municipal do Porto

 

Uma caravana de maravilhas a viajar pelo fim do mundo.

 

Em 2100, o mundo poderá ter perdido metade das suas línguas: dos 7000 idiomas falados atualmente, espera-se que 50% não sobrevivam até ao final do século. Ao caminharem para a extinção, levam consigo histórias, conhecimentos, identidades, diferenças. Em Portugal estão ameaçadas a língua gestual portuguesa, o minderico, o aragonês, o barranquenho e o mirandês, entre outras.
 
Durante a criação de A menor língua do mundo, a equipa artística deste espetáculo viajou por diferentes regiões, estabelecendo encontros entre um grupo multidisciplinar de artistas e pessoas que ainda carregam consigo a memória e a prática de algumas destas línguas. O objetivo não era o de registar algo que foi, mas sim explorar possíveis vir-a-ser; menos um museu e mais uma feira. Uma trupe que atravessasse diferentes territórios de um futuro pós-apocalíptico a apresentar teimosamente um espetáculo de variedades com aquilo que recolheram na sua jornada: piadas e canções, coreografias burlescas e poemas épicos, referências eruditas e animais amestrados.


Sessão com interpretação em Língua Gestual Portuguesa 
8 mar

Conversa com artistas após o espetáculo
8 mar

Relacionado