Catarina e a beleza de matar fascistas

deTiago Rodrigues
4 - 14 jun 2020
qua e sáb, 19h > qui e sex, 21h > dom, 16h
Sala Garrett
texto e encenação Tiago Rodrigues
com António Fonseca, Beatriz Maia, Isabel Abreu, Marco Mendonça, Pedro Gil, Romeu Costa, Rui M. Silva, Sara Barros Leitão
cenografia Fernando Ribeiro
desenho de luz Nuno Meira
produção TNDM II
coprodução BIT-Bergen, Centro Cultural Vila Flor, Comèdie de Caen, Emilia Romagna Teatro Fondazione, Le Trident - Scène-nationale de Cherbourg,  Maison de la Culture d'Amiens, O Espaço do Tempo, Teatro Nacional da Croácia, Théâtre Garonne, Théâtre de Liège, Teatro di Roma, Wiener Festwochen

Estreia do espetáculo no Wiener Festwochen a 28 de maio de 2020


Neste espetáculo, queremos usar o teatro para ensaiar a vida. Contamos a história de um rapto. Um juiz português com um polémico historial de decisões a favor de homens que agridem mulheres, é raptado por um grupo de atrizes e atores. O rapto é ficcional, mas o juiz existe mesmo. Chama-se Neto de Moura. 

Em Catarina e a beleza de matar fascistas, não estamos apenas a contar uma história que mistura realidade e ficção. Estamos a ensaiar o verdadeiro rapto que poderá ser levado a cabo depois de o termos imaginado no teatro. Em palco, Neto de Moura é interpretado por um ator, mas tudo o que vemos poderá acontecer ao verdadeiro Neto de Moura. Ou seja, o rapto é ficcional, mas apenas por agora.


Sessão com interpretação em Língua Gestual Portuguesa 
7 jun

Conversa com artistas após o espetáculo
7 jun

Sessão com Audiodescrição
14 jun
 

Espetáculo em português, com legendas em inglês.