O Cerejal

textoAnton Tchékhov
encenaçãoTiago Rodrigues
9 - 19 dez 2021
qua - sáb, 19h > dom, 16h
Sala Garrett
texto Anton Tchékhov
encenação Tiago Rodrigues
tradução André Markowicz, Françoise Morvan
com Isabelle Huppert, Adama Diop, Alex Descas, Alison Valence, David Geselson, Grégoire Monsaingeon, Isabel Abreu, Marcel Bozonnet, Nadim Ahmed, Océane Caïraty, Suzanne Aubert, Tom Adjibi e Hélder Gonçalves e Manuela Azevedo (música)
música Hélder Goncalves (composição), Tiago Rodrigues (letras)
cenografia Fernando Ribeiro
figurinos José António Tenente
maquilhagem e cabelos Sylvie Cailler, Jocelyne Milazzo 
luz Nuno Meira
som Pedro Costa
colaboração artística Magda Bizarro
assistência de encenação Ilyas Mettioui
construção de cenário Ateliers do Festival d’Avignon
confeção de figurinos Ateliers do Théâtre National Populaire de Villeurbanne
legendagem Joana Frazão
produção Festival d’Avignon
coprodução Odéon-Théâtre de l’Europe, Teatro Nacional D. Maria II, Théâtre National Populaire de Villeurbanne, Comédie de Genève, La Coursive, scène nationale de la Rochelle, Wiener Festwochen, Comédie de Clermont Ferrand, National Taichung Theater, Teatro di Napoli – Teatro Nazionale, Fondazione Campania Dei Festival – Compania Teatro Festival, Théâtre de Liège, Holland Festival
residências artísticas La FabricA - Festival d’Avignon, l’Odéon – Théâtre de l’Europe
apoio Fundação Calouste Gulbenkian, Hotel Altis Avenida

duração 2h30 (aprox.)

M/12
 
Espetáculo estreado a 5 de julho de 2021, no âmbito do 75º Festival d'Avignon. 

No âmbito das novas medidas para acesso a eventos com lugares marcados, em vigor a partir de 1 de dezembro de 2021, informamos que o acesso a espetáculos requer a apresentação de um dos três certificados digitais Covid. Saiba quais, neste link.


A inexorável força da mudança.


Em 2021, Tiago Rodrigues regressou ao Festival d'Avignon, numa encenação de O Cerejal, de Anton Tchékhov. Ora tragédia ora comédia, ora nostalgia ora esperança, ora fim ora futuro, esta peça propõe um encontro com a nossa própria existência refletida numa família e nos seus satélites, um grupo humano em crise. E se a história deste clã aristocrático, cuja propriedade é comprada pelo filho de um antigo servo, é muitas vezes lida como uma reflexão sobre o fim, Tiago Rodrigues vê nela a inexorável força da mudança. Apresentar, hoje, O Cerejal é falar do que acontece pela primeira vez. É falar de um tempo em que ocorre uma mutação social ainda invisível, mas profunda, um tempo vivido por personagens que não perceberam ainda que o que lhes parece excecional é apenas a nova normalidade. É falar sobre um tempo histórico inédito. É falar sobre as dores e as esperanças de um mundo novo que ainda ninguém compreende inteiramente. É falar sobre nós.

Espetáculo falado em francês, com legendas em português.
 
Sessão com Audiodescrição
19 dez > dom, 16h
 

                                                         RELACIONADO                                                       

 
Fechar Política de Cookies

O Teatro Nacional D. Maria II usa cookies para melhorar a sua experiência digital. Ao continuar a navegação está a autorizar o seu uso.
Consulte a nossa Política de Privacidade para saber mais sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais.

Aceitar