Companhia limitada - Estação Terminal

direção artísticaMadalena Victorino e Pedro Salvador
12 - 22 mai 2016
qui - dom, 21h
Vários locais do TNDM II
direção artística Madalena Victorino, Pedro Salvador
conceito, narrativa e coreografia Madalena Victorino 
dramaturgia Joana Bértholo
interpretação e cocriação André Amálio, Patrick Murys, Pedro Salvador, Ricardo Machado, Susana Madeira, Joana Guerra, convidados especiais vindos da rua, do comboio, da escola, do mundo noturno lisboeta, do mercado de vendedores africanos e de outros países...
figurinos Marta Carreiras
desenho de luz e direção técnica Joaquim Madaíl
imagem Jen Brown, João Tuna
música Pedro Salvador, Joana Guerra
consultoria artística Annie Greig
direção executiva Marta Silva
produção executiva Raquel Fernandes
estagiária Catarina Barros
participação especial Duarte, Giacomo Scalisi, Hugo Correia, Joana Gomes, José Carlos Dias (Giovanni), Luís Godinho, Matias Pinto, Mia Distonia, Nelson Ferreira, Marcos Medeiro, Susana Vilar
guias Clara Antunes, Susana Alves, Carina Martins, Rita Sales, José Luís Costa, Juliana Fernandes, Celine Tschachtli, Ana Rita Dias, Alice Duarte, Marta Jardim, Mariana Pereira, Catarina Barros, Mariana  Portocarrero
grupo da Escola Superior de Dança Alice Duarte,  Ana Cláudia Carvalho, Ana João Coelho, Ana Rita Dias, Andreia Serrada, Beatriz Dias, Beatriz Loro, Bruno Freitas, Carolina Carloto, Catarina Fernandes, Catarina Jacinto, Catarina Marques, Cátia Sousa, Daniela Casimiro, Diana Correia, Diana Raquel Carvalho, Fernanda Pereira, Filipe Rodrigues, Gonçalo Pinela, Joana Domingos, Juliana Fernandes, Liliana Ribeiro, Marco Nobre, Marcos Medeiro, Margarida Garcez, Maria Assis, Maria Elisabel Guerrero, Maria João Albuquerque, Maria Miguel Ramos, Marta Jardim, Marta Ricou, Matilde Tudela, Miguel Nogueira, Miriam Brito, Raquel Baltazar, Raquel Santos, Sara Lopes, Sara Venâncio
grupo de Cegos da APEDV Ana Jardim Serôdio, Isabel Lima, José Maria Oliveira, Maria Paula Viegas, Maria Paula Franco, Manuela Vieira
grupo da Revista CAIS António Pia, Bernardete Puente, Elisio Manteiguas, Paula Laranjeira, Rosário Avelino, Vitor Freitas
grupo do Largo de São Domingos Bubacar, Cadi, Cadi Sanu, Cadi Roconte, Cadi Colubuli, Djara Cadi, Iaia Baldé, Ju Baldé, Maria Colubuli, Muskuta Sani, Sene 
grupo Margens Ângelo Antunes, Sérgio Monteiro
produção LARGO RESIDÊNCIAS
coprodução TNDM II
projeto cofinanciado pela Direção Geral das Artes – Ministério da Cultura
apoios Câmara Municipal de Lisboa (Pelouro da Cultura, Pelouro dos Direitos Sociais e Polícia Municipal), EGEAC, Associação Aventura Social, Associação Portuguesa de Cenografia, Bairro Intendente em Festa, Casa Branca, Embaixada da China, Espaço do Tempo, Fruta Feia, Gráfica Digital, Lojas Humana, Miolo-Padaria Biológica, Quinta dos Termos, lda, Recheio, SP Televisão, Sociedade Hípica de Oeiras, Sul castas, Teatro Meridional, Vertigo – Associação Cultural, 
parceria Escola Superior de Dança, Revista CAIS, APEDV – Centro Atividades Ocupacionais, Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa
M / 16


Alguém para alguém.

____________

Madalena Victorino e Pedro Salvador debruçam-se mais uma vez sobre o tema da solidão, nesta que é a terceira parte da trilogia Companhia Limitada. Nas edições anteriores, este projeto levou espetáculos à casa de pessoas que vivem isoladas, levou a atenção de vários públicos a recantos abandonados da cidade, e volta agora a tentar "reinventar a solidão” buscando-a no universo da margem, do excesso, da noite, do travestismo e da festa.

"Quando se trabalha em continuidade um tema como este, é preciso saber reinventá-lo, olhá-lo de fora, virá-lo do avesso”, explicam os autores deste trabalho que orbita em torno de interlocutores específicos, convidados especiais nos quais se baseiam as narrativas.

A terceira edição da Companhia Limitada vai começar na rua e vai trazer para dentro do Teatro os ambientes envolventes. O edifício do D. Maria II torna-se uma gare, uma plataforma de passagem onde vai caber a estação do Rossio, a Praça, e o mercado do Largo de São Domingos. Experimentam-se outros palcos – pelos corredores e recantos menos habitados do Teatro - num movimento que vai pedir ao público que caminhe, esteja de pé, e encontre o seu lugar em diferentes espaços.

Ao longo da noite vai ser possível adquirir sementes e outros alimentos no Mercado que o espéctaculo absorveu das ruas vizinhas. Alguns convidados especiais também trazem coisas especiais para vender, pelo que se recomenda ao público que venha preparado: roupa confortável, vontade de caminhar, e dinheiro trocado.