O pato selvagem

deHenrik Ibsen
encenaçãoTiago Guedes
9 set - 9 out 2016
qua, 19h
qui a sáb, 21h
dom, 16h
Sala Garrett
de Henrik Ibsen 
encenação Tiago Guedes
com Anabela Almeida, Gonçalo Waddington, João Grosso, Lúcia Maria, Margarida Correia (estagiária), Pedro Gil, Tónan Quito 
cenografia e figurinos Ângela Rocha 
desenho de luz Rui Monteiro 
música original Manel Cruz 
coordenação de produção Manuel Poças 
uma criação Tiago Guedes em coprodução com TNDM II
duração 2h30 (com intervalo)
M/14

a partir da tradução de Gil Costa Santos, Ragnhild Marthine Bø

A floresta vinga-se.
____________

Ibsen usa a fábula do pato selvagem que, ao ser ferido por um tiro, mergulha no lago e se segura às algas do fundo de forma a não voltar mais à superfície, como metáfora para todos os temas que aborda nesta peça. O pato escolhe morrer em vez de sobreviver ferido mas é salvo à força por um cão que o retira do fundo do lago, ficando dessa forma destinado a uma segunda existência, confinado num sótão de uma casa. 

Escrita em 1884, O pato selvagem é uma tragicomédia carregada de simbolismo que questiona o significado da verdade nas nossas vidas.

©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
©Filipe Ferreira
1/14