Shake, shake, shake, meu amor

espetáculo integrado noGlorioso Verão - Festival Shakespeare
parceriaTNDM II, ESTC
28 - 31 jul 2016
qui - sáb, 21h
dom, 16h
Sala Garrett | Entrada Livre*

a partir de William Shakespeare
direção Francisco Salgado
interpretação (ramo atores) Anabela Ribeiro, Camila Cerqueira, Carlota Alves, Carolina Dominguez, Cirila Bossuet, Giovanna Monteiro, Lara Matos, Lara Mesquita, Patrícia Moreira, Rita Liberal, Rui M. Raposo, Tiago Filipe
cenografia (ramo design de cena) Gonçalo Ventura
figurinos (ramo design de cena) Liliana Fernandes, Gonçalo Ventura
desenho e operação de luz (ramo produção) Mafalda Rôla
produção executiva (ramo produção) Laura Mendes, Mafalda Rôla
direção de cena (ramo produção) Sara Cipriano
apoio (design de cena) Maria Medeiros
apoio dramatúrgico Maria Sequeira Mendes
coordenação de cenografia e figurinos José Espada
coordenação de iluminação Miguel Cruz
corpo Jean Paul Bucchieri
preparação vocal Maria Repas
coordenação de produção e direção de cena Conceição Mendes, Miguel Cruz
gabinete de produção ESTC Conceição Costa, Rute Reis

parceria TNDM II, ESTC
Glorioso Verão – Festival Shakespeare uma parceria TNDM II, São Luiz Teatro Municipal
apoio British Council

espetáculo com legendagem em inglês

M/12





Shake, shake, shake, meu amor é o exercício final com que os alunos finalistas do curso de Teatro da Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC) terminam a sua licenciatura, e onde se procura dar conta do universo amoroso que Shakespeare oferece em algumas das suas comédias. Neste processo criativo, debruçámo-nos sobre a ideia de que tanto no amor, que todos conhecemos de trás para a frente e de frente para trás, como em Shakespeare, há uma constante repetição no que diz respeito à linguagem, aos jogos e aos gestos amorosos. Partindo desta ideia de repetição surgiu um jogo cíclico – uma dança coletiva cheia de poesia e humor – que deu origem a duas vozes que escorregam continuamente no verbo amar. Uma dessas vozes é a do próprio Shakespeare, que tão bem conhece a fisionomia do amor e, neste exercício, escreve e reescreve os versos dos apaixonados. O nosso Shakespeare insiste para que a multidão dance uma ardente giga escocesa, um delicado minuete e, talvez um atrapalhado bailado dos cinco passos, encontrando-se desmesuradamente estregue ao amor. E qual de nós ousa entrar na sua cantiga? Estarão os homens e as mulheres transformados em ostras ou em belas línguas? Dançaremos ao som dos seus versos ou, pelo contrário, tentaremos dançar a nossa própria melodia? 

Lara Matos
(ramo atores)


* Entrada livre, sujeita à lotação da sala e ao levantamento de bilhete. É possível a reserva de bilhetes, cujo levantamento deverá ser realizado até 24h antes do início da sessão.