Montanha-Russa

deInês Barahona e Miguel Fragata
música originalHélder Gonçalves
23 - 27 jan 2019
qua e sáb, 19h > qui e sex, 21h > dom, 16h
Sala Garrett
encenação Miguel Fragata
texto e letras Inês Barahona e Miguel Fragata
música Hélder Gonçalves
com Anabela Almeida, Bernardo Lobo Faria, Carla Galvão, Miguel Fragata e (música ao vivo) Hélder Gonçalves, Manuela Azevedo, Miguel Ferreira, Nuno Rafael
cenografia F. Ribeiro
figurinos José António Tenente
desenho de luz José Álvaro Correia
desenho de som Nelson Carvalho
movimento Marta Silva
vídeo Henrique Frazão
coprodução TNDM II, TNSJ, Teatro Virgínia
coprodução fase de pesquisa Festival Terres de Paroles
 
produção executiva Clara Antunes e Sara Cipriano / Formiga Atómica
direção técnica / luz Nuno Figueira 
direção técnica / som Nelson Carvalho
comunicação e mediação de públicos Ana Pereira
roadie Norberto Duque

apoio ao espetáculo MadPizza e DB Schenker

Projeto financiado pela República Portuguesa - Cultura / DGArtes.
 
Espetáculo estreado a 9 de março de 2018, no TNDM II.
 
duração 1h50
M/12
A Montanha-Russa está de volta! Este é um espetáculo da dupla Miguel Fragata e Inês Barahona, à qual se junta a dupla Hélder Gonçalves e Manuela Azevedo. Um espetáculo em que o teatro e a música disputam o palco, desafiando as convenções do "teatro musical”, como quem desafia as leis da gravidade num loop.
Montanha-Russa mergulha vertiginosamente na adolescência. Retira-a do lugar dos lugares-comuns e procura aproximá-la da dimensão da intimidade. Uma dimensão secreta, privada, interior, mas que vive no desejo de ganhar um palco onde se possa exibir.
Montanha-Russa é o diário deixado em cima da mesa, o diário destilado nas redes sociais, ou o diário perigosamente transportado para o liceu: uma intimidade a gritar "leiam-me!”, uma geração a querer fazer-se ouvir ao som da música.
Este espetáculo foi antecedido por um extenso trabalho de pesquisa junto de várias centenas de adolescentes, que incluiu um open call para a recolha de diários, entrevistas a solo, pequenos espectáculos apresentados nas escolas secundárias, cursos de criação de diários e de composição musical, palestras, etc. Todo o processo foi registado pela cineasta Maria Remédio, que assina um documentário sobre o projeto: Canção a Meio.