Formação NORMA

coordenaçãoDiana Niepce

FORMAÇÃO GRATUITA

 

candidaturas encerradas


sessões com Ana Rita Teodoro, Beatriz Soares Dias, Cláudia Jardim, Daniel Matos, Daniel Pizamiglio e Miguel Teles, Diana Niepce, Elisabete Francisca, Franko B, Gaya de Medeiros, Gonçalo Alegria, João dos Santos Martins, Joclécio Azevedo, Mariana Tengner Barros, Maurícia Barreira Neves, Teresa Silva
número de sessões 32 
público-alvo artistas com e sem deficiência e S/surdos
número máximo de participantes 22
parceria Fundação GDA, Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
apoio Pina Bausch Fellowship 2023

As/os participantes deverão ter disponibilidade para participar em todas as sessões
Com curadoria de Diana Niepce, e assistência do criador André Uerba, esta é uma formação pensada em função do corpo enquanto potência de criação e revolução, que pretende fornecer às pessoas participantes ferramentas de especialização em torno de práticas performativas, inclusão, práticas somáticas, performance, acessibilidade, política, identidade e trabalho autoral.

Centrada no questionamento das normas disseminadas, em função do corpo nos lugares da performance, NORMA concebe e proporciona um lugar experimental, onde criadores/as aliam a teoria e a prática em torno de um espaço de pesquisa e partilha.

O plano de formação comporta, além das sessões orientadas por Diana Niepce, outras coordenadas por diferentes artistas, no sentido de repensar e reformular as práticas nas artes performativas, sem criar ou seguir um método único, abrindo antes a porta a múltiplas perspetivas e possibilidades.


CALENDÁRIO

 
11 e 12 set   Diana Niepce  
18 set   Cláudia Jardim
19 set   João dos Santos Martins 
25 e 26 set   Diana Niepce 
2 e 3 out   Diana Niepce 
9 e 10 out   Diana Niepce 
16 out   Diana Niepce 
17 out
  Franko B
23 e 24 out   Diana Niepce 
30 e 31 out   Diana Niepce 
6 nov   Maurícia Barreira Neves 
7 nov             Mariana Tengner Barros
13 nov  Elisabete Francisca
14 nov  Joclécio Azevedo 
20 nov 
21 nov
 Diana Niepce
 Mariana Tengner Barros
27 nov  Beatriz Soares Dias 
28 nov  Daniel Pizzamiglio e Miguel Teles  
4 dez  Ana Rita Teodoro 
5 dez  Daniel Matos 
11 dez  Teresa Silva
12 dez  Gaya de Medeiros  
18 dez  Gonçalo Alegria 
19 a 21 dez  Diana Niepce 

 
  

SESSÕES COM CONVIDADOS


Sessão com Ana Rita Teodoro 
A aula proposta por Ana Rita Teodoro relaciona-se profundamente com a sua pesquisa "Delirar a Anatomia”, uma coleção de estudos febris dedicados a uma parte corpo, iniciada em 2012. É um modo de operação que resulta numa peça coreográfica, do qual são exemplos Orifice Paradis, Sonho D’Intestino, Palco e Pavilhão. É um trabalho que se baseia no estudo da anatomia – na sua história, na perspectiva da medicina chinesa, na fisiologia e paleontologia — com cruzamentos iconográficos ou literários, assim como na experiência empírica, que levam à escrita de partituras e à composição coreográfica. O delírio acontece na fricção de factos e ficções, acontece no ataque aos órgãos e às suas funções destinadas. A ambição deste estudo é romper com os paradigmas que definem o "corpo” enquanto entidade orgânica, "una” e funcional, para ao invés pensar nas matérias que o constituem como uma entidade múltipla, constantemente em movimento, mutação, negociação e transição.
Sessão com Beatriz Soares Dias
A aula desenvolve-se em torno das práticas de criação do trabalho autoral de Beatriz Soares Dias.
 
Sessão com Cláudia Jardim 
Uma aula pensada a partir das novas narrativas e do confronto da criação com o público. Uma proposta que encontra um espaço para conversar, problematizar e estruturar conclusões a partir da experiência de Claúdia Jardim no trabalho que convoca abordagens do cânone, para logo depois rebatê-las e começar tudo de novo; uma proposta que convoca também uma prática que baloiça entre extremos.

Sessão com Daniel Matos
O belo: a efemeridade carregada de vincos, memórias e feridas, que criam relações de mágoa e felicidade com o real e com a duração do caminho andado. Desaparecemos para onde? Desaparecer é extinguir-nos? Transgredir-nos? Esta é uma sessão que parte de pesquisas e métodos de criação própria, propondo uma perspetiva elástica do conceito de impossível e do seu alcance. Assumindo a vontade como potência, procura-se continuar a pesquisa de Daniel Matos, entre o individual e o coletivo, o íntimo como revolução necessária e constante.

Sessão com Daniel Pizamiglio e Miguel Teles
Esta aula parte de um projeto no qual se tem procurado práticas e éticas do encontro, através de uma série de encontros-performance. A partir da proposta de olhar as coisas como se fosse a primeira e a última vez, Daniel Pizamiglio e Miguel Teles partilham os materiais e exercícios recolhidos ao longo da investigação, promovendo modos de estar em criação e composição com o/a/e outro/a/e.
> notas biográficas

Sessão com Elisabete Francisca
Elisabete Francisca trabalha em torno do toque e improvisação. Enquanto improvisa, o/a/e performer/bailarino/a/e coloca-se num estado de extrema atenção e abertura aos vários estímulos - tanto interiores como exteriores - de forma a poder reagir às informações, a integrá-las e a tomar decisões. Este estado, que se caracteriza por uma perceção expandida aos diferentes níveis de sensação (ver, ouvir, sentir, cheirar, tocar, intuir), permite-nos alargar as possibilidades de nos posicionarmos e de agirmos, de forma responsável, num fluxo contínuo de informação. Seja em relação aos outros, em grupo, seja em relação consigo próprio, com a sua imaginação, desejos, medos e fantasmas.
> notas biográficas

Sessão com Franko B
Franko B consagrou-se nos anos 90 devido às suas performances que muitas vezes envolviam derramamento de sangue. A sua prática artística de três décadas abarca a performance, vídeo, fotografia, pintura, escultura e media e o seu trabalho de arquivo é uma fonte historiográfica relevante em torno da prática da live art.
Esta aula parte da observação e do questionamento do arquivo de Franko B, situado nas fronteiras entre a vida e a arte, entre o isolamento e sedução, compaixão e confronto, sofrimento e erotismo, punk e poesia.

Sessão com Gaya de Medeiros
"Eu para Jantar” é um encontro de práticas para a exploração de possibilidades de modulação da presença: brincar com a performance corporal e vocal no encontro com o outro. A partir de exercícios de improviso e de composição, coloca-se o foco na tensão entre corpo, voz e identidade. 

Sessão com Gonçalo Alegria
Gonçalo Alegria desenvolve uma pesquisa artística interdisciplinar onde usa, entre outras matérias, o som, rádio, imagem, performance, construção de objetos e a escrita. A partir do seu trabalho, esta aula pretende criar questões de percepção e tradução interpessoal, com recurso às matérias do som, imagem, texto e pensamento. Não esqueceremos o corpo.

Sessão com João dos Santos Martins
João dos Santos Martins é artista e o seu trabalho abrange várias formas, como a coreografia, a exposição e a edição. A aula procura abordar as práticas do seu trabalho a partir e através da dança. 

Sessão com Joclécio Azevedo
Os participantes terão oportunidade de experienciar o corpo como um lugar de transformação, investigando intersecções entre paisagens interiores e exteriores. Este corpo topográfico, com as suas superfícies e acidentes, será o ponto de partida para redesenhar limitações, fronteiras e formas de conexão. Serão desenvolvidas práticas de colaboração e exercícios que combinam a escrita, partilha e interpretação de partituras performativas.
 
Sessão com Mariana Tengner Barros
Este será um laboratório de experimentação criativa, que indaga as possibilidades da dança, do movimento e da performance como prática política de ativação do corpo. Serão investigados modos de atenção e estados de consciência que permitam a reconfiguração dos filtros usados para entender a "realidade”. Através da pesquisa de movimento com base na perceção e sensação, conexão corpo-mente e expansão dos sentidos, preparar-se-á outro corpo, articulado, que exprime a linguagem não linear e complexa oriunda da tópica emocional, sensorial e imaginativa, permitindo que a forma apareça através da sensação e da atenção. A prática de liberdade, sem as diversas "programações” a que estamos sujeitos enquanto seres humanos, ao desconstruir e reconstruir as múltiplas imagens que temos de nós próprios, e do mundo, enquanto dançamos. A noção de dança será constantemente posta em causa através da reconfiguração dos padrões de comportamento e identidade. Abarcar-se-á o jogo, o jogar a sério, que é brincar, porque brincar é essencial para a perceção lúcida da realidade, desligada da autocensura e em sintonia com a curiosidade. Mariana Tengner Barros irá partilhar inúmeras ferramentas que reuniu ao longo do seu percurso, desde práticas de movimento e meditação, a guiões imaginários e diferentes rituais, ferramentas que usa nos seus processos criativos e na vida em geral. 
 
Sessão com Maurícia Barreira Neves
Nesta aula serão abordadas formas de improvisação e composição usando o corpo e a voz. A criatividade será o foco, em vez da técnica. Pretende-se assim explorar as potências da forma sem pretensões e reservando para uma fase posterior a possibilidade de descoberta de leituras, interpretações e dramaturgias implícitas nos gestos e ações criadas. 
 
Sessão com Teresa Silva
Teresa Silva vê a dança como algo que excede o corpo físico, o que se traduz num trabalho de atenção e sensibilidade, bem como numa abordagem multidisciplinar ao movimento. Interessa-se por coreografar o corpo humano, mas também o tempo, o som, a luz, objetos e materiais. É através deste lugar sensível que se organizam e compõem estas sessões.

Formação já realizada em


11 set - 7 nov 2023
13 nov - 21 dez 2023
ver mais
ver menos
Fechar
Newsletter D. Maria II
Fechar Política de Cookies

O Teatro Nacional D. Maria II usa cookies para melhorar a sua experiência digital. Ao continuar a navegação está a autorizar o seu uso.
Consulte a nossa Política de Privacidade para saber mais sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais.

Aceitar