Bolsa Amélia Rey Colaço

Bolsa Amélia Rey Colaço

Em homenagem ao papel pioneiro da atriz e encenadora Amélia Rey Colaço na História do Teatro Português, no ano em que se celebrou o 120º aniversário do seu nascimento (2018), o Teatro Nacional D. Maria II, A Oficina, O Espaço do Tempo e o Teatro Viriato associaram-se para atribuir a Bolsa Amélia Rey Colaço. Esta é uma bolsa de criação destinada a apoiar a produção de espetáculos de jovens artistas e companhias emergentes com o intuito de promover a renovação da criação teatral portuguesa.

Esta iniciativa tem como objetivos principais:
  • Contribuir para um aumento do acesso de jovens artistas e novas companhias de teatro a meios de produção fundamentais
  • Promover o espaço da pesquisa nos processos de produção e criação teatrais
  • Contribuir para a consolidação do corpo de trabalho de companhias e artistas emergentes
  • Promover e incentivar a criação de novas dramaturgias
  • Promover o alargamento de públicos e o reconhecimento do trabalho de novos artistas e companhias
Na 1ª edição, o projeto vencedor foi Parlamento Elefante, que esteve em cena em 2019.
Na 2ª edição, o projeto vencedor foi Aurora Negra, que esteve em cena em 2020.
Na 3ª edição, o projeto vencedor foi Ainda estou aqui, que esteve em cena em 2021.
Na 4ª edição, o projeto vencedor foi Another Rose, que estará em cena na Sala Estúdio em 20211.

 

Fechar Política de Cookies

O Teatro Nacional D. Maria II usa cookies para melhorar a sua experiência digital. Ao continuar a navegação está a autorizar o seu uso.
Consulte a nossa Política de Privacidade para saber mais sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais.

Aceitar