A Caminhada dos Elefantes

textoInês Barahona
encenaçãoMiguel Fragata
14 - 15 set 2019
sáb e dom > 11h 
Sala de cenografia
Espetáculo para famílias

texto Inês Barahona
encenação
Miguel Fragata
com Miguel Fragata
cenografia e figurinos Maria João Castelo
música Fernando Mota
luz José Álvaro Correia
direção técnica Pedro Machado
apoio à dramaturgia na vertente da psicologia Madalena Paiva Gomes
apoio à dramaturgia na vertente da pedagogia Elvira Leite
consultoria artística Catarina Requeijo, Giacomo Scalisi e Isabel Minhós Martins
produção Clara Antunes / Formiga Atómica
coprodução Formiga Atómica, Artemrede – Teatros Associados, Centro Cultural Vila Flor, Maria Matos Teatro Municipal, Teatro Viriato

M/6

Projeto financiado pela República Portuguesa - Cultura / DGArtes

Espetáculo estreado a 17 de novembro de 2013 no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Moita

Um espetáculo que reflete sobre o fim.

A Caminhada dos Elefantes
conta a história de um homem e de uma manada de elefantes. Quando o homem morre, os elefantes fazem uma caminhada misteriosa a sua casa, para lhe prestar uma última homenagem: não era um homem qualquer, era um deles. Este é um espetáculo sobre a existência, a vida e a morte, e o caminho que todos temos de fazer, um dia, para nos despedirmos de alguém. Um espetáculo que reflete sobre o fim, que é um mistério para todos, crianças ou adultos.
A Caminhada dos Elefantes é também a história de um outro encontro e do que esse encontro fez nascer. Como vem sendo habitual na obra de Inês Barahona e Miguel Fragata – a companhia Formiga Atómica -, a criação artística foi antecedida por um extenso trabalho de pesquisa junto de duas centenas de crianças com idades entre os 6 e os 10 anos e o material recolhido serviu de inspiração e conteúdo para o espetáculo.

Espetáculo apresentado no âmbito do Entrada Livre. Sessões esgotadas.