Dia Mundial do Teatro 2014

espetáculos e atividades deentrada livre
27 mar 2014
entrada livre
Vários Locais


O TNDM II assinala o Dia Mundial do Teatro com um conjunto de atividades de entrada livre. Espetáculos, uma exposição e uma leitura encenada são as propostas para comemorar esta data especial.


A PORTA [espetáculo]
11h e 16h, Sala Estúdio

Uma menina e os pais chegam, de malas feitas, a uma casa nova. Mas a casa nova não tem nem paredes, nem teto, nem nada. Apenas uma porta. - Uma porta é um bom começo! - disse logo o pai que era um sonhador. Mas a mãe ficou muito aflita. - E onde é que está a cozinha, a sala, o quarto?! Tudo estava por inventar naquela casa que ainda só tinha uma porta. No entanto, essa não era uma porta vulgar. Abria para um mundo mágico onde viviam e vivem os novos vizinhos...

de José Fanha | encenação João Mota | cenografia João Calixto – Fosso de Orquestra | figurinos Mónica Cid | desenho de luz José Carlos Nascimento | música original e sonoplastia Hugo Franco | cabelos e maquilhagem Carla Pinho | com Bernardo Chatillon, Joana Cotrim, Jorge Albuquerque, LitaPedreira, Luis Geraldo, Maria Jorge e Rita Figueiredo (ano 2012/2013 ESTC) | produção TNDM II | M/6



NO TEMPO EM QUE OS INSTRUMENTOS FALAVAM [espetáculo]
13h e 17h30, Átrio TNDM II

Este é um espetáculo interativo sobre música do século XVIII para crianças curiosas e adultos divertidos. Especialmente dirigido a crianças do primeiro e segundo ciclos do ensino básico, pretende-se aqui introduzir a Música Barroca no seu contexto histórico, através de uma viagem no tempo de três personagens (um historiador de música, Charles Burney, um flautista e uma cravista). Histórias sobre a música e os músicos dos séculos XVII e XVIII, numa perspetiva lúdica e despretensiosa em que a música, dita erudita, é apresentada de uma forma divertida e acessível. As crianças ouvem música, conversam, jogam, dançam, contam histórias…

criação Joana Amorim, Joana Bagulho e F. Pedro Oliveira | interpretação Joana Amorim (traverso), Joana Bagulho (cravo) e F. Pedro Oliveira (ator) | figurinos Kusturicas (Ana Direito e Isabel Peres)



20 DIZER [espetáculo]
21h, Salão Nobre

A palavra com som, cor, corpo e alma. Um duo com muita gente dentro. 20 Dizer vai ser um momento muito especial, aquele que o Trigo Limpo teatro ACERT vai criar propositadamente para a celebração do Dia Mundial do Teatro no Teatro Nacional D. Maria II. A viagem poético-musical terá como cicerones, dramaturgos e escritores cujas palavras voam apaixonadamente nos palcos: Almada Negreiros, Bernardo Santareno, Bertolt Brecht, Charlie Chaplin, Chico Buarque, Eduardo White, Federico García Lorca, Gil Vicente, Hélia Correia, José Saramago, Luís Carlos Patraquim, Mia Couto, Sofia de Mello Breyner Andresen, Vinicius de Moraes, William Shakespeare e Herberto Helder, como tributo por O Actor. José Rui Martins e Luísa Vieira partilham o palco num exercício de comunicação, explorando a musicalidade da palavra e a simplicidade de dar voz a seduções emotivas. A leitura poética voando em múltiplas geografias com sonoridades que a embalam e impacientam.

direção artística, textos e declamação José Rui Martins | arranjos, voz, flauta e m’bira Luísa Vieira | som e luz Filipe de Jesus | fotos Carlos Teles, Ricardo Chaves | produção Trigo Limpo teatro ACERT | M/12



LUCIEN DONNAT, UM CRIADOR RIGOROSO [exposição]
10h às 12h30 e 14h30 às 16h30, 1ª Ordem

A exposição, que evoca a vida e obra de um dos mais importantes desenhadores do teatro português, ocupa dois espaços distintos. No TNDM II, destaca-se a análise da peça Antígona, espetáculo de estreia da atriz Mariana Rey Monteiro, em abril de 1946, e referencia-se o trabalho de Lucien Donnat como decorador em espaços públicos. No Museu Nacional do Teatro, apresenta-se um percurso cronológico do trabalho de Lucien Donnat para o teatro em Portugal.

curadores Vítor Pavão dos Santos (Teatro) e Rui Afonso Santos (Decoração) | uma iniciativa do TNDMII em parceria com o Museu Nacional do Teatro



NOSSA SENHORA DA AÇOTEIA [leitura encenada]
18h, Biblioteca da Imprensa Nacional – Casa da Moeda

Nossa Senhora da Açoteia é um monólogo onde uma ‘mulher’ conta a sua história e a das suas anteriores gerações, tendo como cenário social e geográfico uma fábrica de conservas de peixe no Algarve. Aos 38 anos, Luís Campião conquista um dos mais prestigiados galardões dedicados à leitura lusófona - o Prémio Luso-Brasileiro de Dramaturgia António José da Silva - uma iniciativa conjunta do Camões -  Instituto da Cooperação e da Língua (Portugal) e da Fundação Nacional de Artes / Funarte (Brasil).

de Luís Campião | por José Neves | com a presença do autor e de João Mota (diretor artístico do TNDM II)




Condições gerais para o levantamento de bilhetes
:

abertura de portas - 9h30
abertura de bilheteira para os espetáculos - 10h

O levantamento dos bilhetes é limitado a 2 por pessoa e sujeito à lotação disponível. Para este dia, não se aceitam reservas de lugares.

A Porta ©Filipe Ferreira
A Porta ©Filipe Ferreira
A Porta ©Filipe Ferreira
A Porta ©Filipe Ferreira
No tempo em que os instrumentos falavam ©Enrik Coelho
No tempo em que os instrumentos falavam ©Enrik Coelho
No tempo em que os instrumentos falavam ©Enrik Coelho
No tempo em que os instrumentos falavam ©Enrik Coelho
Nossa Senhora da Açoteia ©Filipe Ferreira
Nossa Senhora da Açoteia ©Filipe Ferreira
Nossa Senhora da Açoteia ©Filipe Ferreira
Nossa Senhora da Açoteia ©Filipe Ferreira
20 Dizer ©Direitos Reservados
20 Dizer ©Direitos Reservados
20 Dizer ©Direitos Reservados
20 Dizer ©Direitos Reservados
Exposição Lucien Donnat - um criador rigoroso ©Filipe Ferreira
Exposição Lucien Donnat - um criador rigoroso ©Filipe Ferreira
Exposição Lucien Donnat - um criador rigoroso ©Filipe Ferreira
Exposição Lucien Donnat - um criador rigoroso ©Filipe Ferreira
1/10
Fechar Política de Cookies

O Teatro Nacional D.Maria II usa cookies para melhorar a sua experiência digital. Ao continuar a navegação está a autorizar o seu uso.
Consulte a nossa Política de Privacidade para saber mais sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais.

Aceitar