Sax Tenor

deRoberto Vidal Bolaño
encenaçãoJosé Martins
7 - 24 mai 2015
4.ª 19h
5.ª a sáb. 21h
dom. 16h

Sala Garrett

de Roberto Vidal Bolaño
tradução em coautoria José Martins e Manuel Guede Oliva
encenação José Martins
com João Grosso, Hugo Franco, Jorge Albuquerque, Maria Amélia Matta, Maria Jorge, Rita Figueiredo, Lita Pedreira, Bernardo Chatillon, Luís Geraldo, Lúcia Maria, Paula Mora, José Neves, Manuel Coelho e Maria Ana Filipe 
cenografia e figurinos Rui Francisco
desenho de luz José Carlos Nascimento
assistente de encenação Joaquina Chicau 
assistente de cenografia e figurinos Joana Gomes
realização vídeo Ricardo Inácio, Manuel Pureza, João Gomes e José Martins
consultoria musical Valter Rolo
professor saxofone Luis Bastos 
cabelos e maquilhagem Carla Pinho
produção TNDM II
M/16

DESGRAÇA SUBURBANA IMPROVÁVEL ENTRE LOUCOS, GANGSTERS, CHULOS E PUTAS

Uma desgraça suburbana improvável entre loucos, gangsters, chulos e putas — foi assim que Roberto Vidal Bolaño subtitulou esta sua peça escrita em 1991. Roberto Vidal Bolaño (1950-2002) é um dos mais importantes dramaturgos galegos contemporâneos e foi, até à sua morte prematura, um eminente encenador e ator da Galiza, pioneiro do teatro profissional galego. Nesta peça, o autor — herdeiro legítimo de Ramón Maria del Valle Inclán — propõe-nos um verdadeiro esperpento de final do século XX, à sombra de Santiago e da sua Catedral. Esta peça recebeu o Prémio Álvaro Cunqueiro de textos teatrais, para o melhor original de teatro escrito em galego no ano de 1991.
Fechar Política de Cookies

O Teatro Nacional D. Maria II usa cookies para melhorar a sua experiência digital. Ao continuar a navegação está a autorizar o seu uso.
Consulte a nossa Política de Privacidade para saber mais sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais.

Aceitar