Terreno selvagem

cocriaçãoMiguel Castro Caldas, Pedro Gil e Raquel Castro
15 - 31 jan 2016
qua, 19h30
qui - sáb, 21h30 
dom, 16h30
Sala Estúdio

cocriação Miguel Castro Caldas, Pedro Gil e Raquel Castro
texto Miguel Castro Caldas 
com Pedro Gil, Raquel Castro e Joana Bárcia 
espaço cénico Pedro Silva 
som Pedro Costa 
luz João Gambino 
produção executiva Francisca Rodrigues 
apoio à criação Duarte Águas
registo vídeo Maria Joana
produção Raquel Castro e Pedro Gil
coprodução TNDM II, Barba Azul, Teatro Viriato 
residência artística O Espaço do Tempo, mala voadora.porto
espetáculo criado com o apoio do Governo de Portugal / DGArtes

M/14


Uma história sem fim à vista.
_____
 
Uma sala confortável, mobilada com bom gosto mas sem luxo. Ao fundo à direita, a porta que conduz ao hall. À esquerda, a porta que dá para o escritório. Entre as duas, um piano. No centro da parede, uma janela. Perto da janela, uma mesa redonda com uma poltrona e um sofá. No chão uma planta. Junto à parede da direita, mais recuada, um pequeno móvel com uma televisão e alguns objetos decorativos. Ao lado, uma estante com DVDs e livros. A criança adormeceu no sofá. A mãe está lá dentro, o pai está lá fora. Nas paredes, gravuras e um cartaz de um filme.

Em Terreno selvagem, Miguel Castro Caldas, Pedro Gil e Raquel Castro mergulham numa história sem fim à vista.


Fechar Política de Cookies

O Teatro Nacional D. Maria II usa cookies para melhorar a sua experiência digital. Ao continuar a navegação está a autorizar o seu uso.
Consulte a nossa Política de Privacidade para saber mais sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais.

Aceitar