apap - advancing performing arts project

apap - advancing performing arts project

apap - FEMINIST FUTURES 2020-2024 

 
A apap - FEMINIST FUTURES é uma rede criada por 11 instituições de 11 países, que partilham a ideia de que a arte pode iniciar mudanças sociais poderosas. Este é um projeto que visa abordar a desigualdade nas artes performativas contemporâneas, usando o Feminismo Intersecional para encontrar respostas estruturais concretas e fomentar uma maior consciência pública sobre diferentes temáticas.
 
FEMINIST FUTURES é um projeto inovador que tem como veículo uma multiplicidade de criações artísticas capazes de inspirar uma visão positiva do futuro, como uma alternativa à atual onda de tendências nacionalistas e xenófobas que se espalha pela Europa. 
 
O objetivo central do FEMINIST FUTURES é prestar apoio a longo prazo a uma nova geração de 20 artistas, que terão a possibilidade de criar projetos socialmente relevantes e apresentá-los pelo espaço europeu. O projeto assenta em torno do recém-criado Festival partilhado FEMINIST FUTURES. Este festival é composto por um conjunto de compromissos mútiplos, cada um deles concebido, financiado, realizado e apresentado em conjunto por duas ou mais instituições parceiras, e comunicado como um evento europeu único. O festival é um modelo de negócio multifacetado para o sector cultural e criativo. Implementa uma estratégia de digressões verde, maximiza a visibilidade do projeto e aumenta a participação ativa das espectadoras e dos espectadores com um programa comum de desenvolvimento de públicos. Este programa é baseado em duas ações complementares: The Ventures, projetos participativos com potencial para se tornarem um exemplo de boas práticas para o setor, e a Escola Feminista, um espaço de aprendizagem comum, intersecional e não hierárquico. 
 
O FEMINIST FUTURES oferecerá ainda oportunidades de formação para os seus participantes através de ações específicas: um intercâmbio artístico com a Escola Livre de Dança da Maré, de Lia Rodrigues, no Rio de Janeiro, e um programa de mentoria para jovens escritores e críticos com foco na região dos Balcãs.

A apap mune-se ainda de um forte plano de comunicação e disseminação, do qual se destaca a rotatividade das responsabilidades, encontros regulares de profissionais, uma conferência final e uma colaboração com a Howlround, uma plataforma online que divulgará os resultados do projeto em todo o mundo.
 
Os parceiros apap deste novo projeto são: Tanzfabrik Berlin, BIT Teatergarasjen, Maison de la Culture d’Amiens, Centrale Fies, InSzPer Performing Arts Institute, Reykjavik Dance Festival, STATION – Service for contemporary dance, Teatro Nacional D. Maria II, SZENE Salzburg, BOULEVARD Festival e Kunstencentrum BUDA.
 
Os primeiros 12 artistas que se juntam ao FEMINIST FUTURES são: Agata Maszkiewicz, Ana Dubljevic, Anne-Lise Le Gac, buren, Chiara Bersani, Harun Morrison/ They are Here, Ingrid Berger Myhre, Milla Koistinen, Naomi Velissariou, Paula Diogo, Sergiu Matis e Tatiana Julien.
 

Saiba mais informações sobre a apap aqui



Fechar Política de Cookies

O Teatro Nacional D. Maria II usa cookies para melhorar a sua experiência digital. Ao continuar a navegação está a autorizar o seu uso.
Consulte a nossa Política de Privacidade para saber mais sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais.

Aceitar