Pur présent

deOlivier Py (França)
14 - 15 set 2019
sáb e dom > 18h
Capitólio, Parque Mayer
texto e encenação Olivier Py
com Damien Bigourdan, Joseph Fourez, Nâzim Boudjenah da Comédie-Française e Guilhem Fabre (ao piano) 
cenografia baseada em ideias de Pierre-André Weitz 
assistente de encenação Neil-Adam Mohammedi
produção Festival d’Avignon
coprodução TNDM II
apoio Institut Français à Paris, Institut Français du Portugal e Embaixada de França em Portugal

Recomendado para M/14

duração 3 horas, com dois intervalos

Espetáculo estreado a 7 de julho de 2018 no 72º Festival d’Avignon
agradecimentos Guillaume Bresson représenté par la Galerie Nathalie Obadia, Paris/Bruxelles © Martin Müller
Como viver com dignidade?

Três tragédias curtas sobre o mundo, hoje, e sobre nós no mundo. E, no princípio, uma questão: como viver com dignidade? Pur Présent convoca as tragédias de Ésquilo que Olivier Py traduziu e encenou ao longo de uma década e, ainda mais, a intimidade que o dramaturgo e diretor do Festival d'Avignon construiu com a obra do poeta. Um labor que, segundo o próprio, abriu uma fenda na sua estética, levando-o a "despir o gesto teatral” e a "afiar a escrita”, revolução consubstanciada nas três peças que constituem este espetáculo - Prisão, O Dinheiro e A Máscara. Uma "tragédia do nosso presente puro” em que "o menor gesto nos torna culpados” – palavras do autor -, Pur Présent chama à cena personagens poderosas e algumas situações extremas, a saber: um prisioneiro e um capelão, um banqueiro e o seu filho, um homem mascarado e a multidão, uma prisão em chamas, um tiro, uma revolução mascarada. Todos chamam a si essa questão sobre vida e dignidade que, tanto a moral como a lei, deixam por responder. 

Espetáculo apresentado no âmbito do Entrada Livre. Consulte as condições de acesso. 
Espetáculo falado em francês, com legendas em português.