Pérola Sem Rapariga

textoDjaimilia Pereira de Almeida
direção e encenaçãoZia Soares

CENTRO CULTURAL VILA FLOR

sáb, 21h30



CENTRO CULTURAL DE BELÉM 

sex, 21h • sáb e dom, 19h


 

interpretação
Filipa Bossuet, Sara Fonseca da Graça
artista visual Kiluanji Kia Henda
instalação e figurinos Neusa Trovoada
design de iluminação Carolina Caramelo 
música e design de som Xullaji
assistência à encenação de movimento Lucília Raimundo 
vídeo promocional António Castelo
assistência geral Aoaní d'Alva
coprodução Sowing_arts,Teatro Nacional D. Maria II, no contexto da apap – FEMINIST FUTURES (projeto cofinanciado pelo programa Europa Criativa da União Europeia)
parceria Abril Abriu Comissão Comemorativa dos 50 anos do 25 de Abril, Câmara Municipal de Lisboa, EGEAC, Fundação Centro Cultural de Belém
apoio Casa da Dança, Polo Cultural Gaivotas Boavista

M/12

duração 50 min
Pérola Sem Rapariga inspira-se na leitura de Voyage of the Sable Venus and Other Poems, de Robin Coste Lewis, e do arquivo fotográfico de Alberto Henschel. O espetáculo pensa a relação entre a superfície do corpo e aquilo que sobre ele somos capazes de dizer, entre legenda e imagem, entre a pele e o salvamento. O artista Kiluanji Kia Henda intervém no espaço da cena instalando prenúncios de apocalipse.

Qual a vida de um gesto — a história de um olhar — a fundura de uma gargalhada? Em Pérola Sem Rapariga ri-se sem razão aparente, do riso deflagra o choro, o choro redunda em sonho e mergulha-se nele como num oceano. É daí que da gargalhada mais antiga, e da possibilidade de a gozar após tanto tempo, se abrem as portas de sonhos inquietos e delas ao fundo dos mares, onde jazem os que não podiam rir. A ideia é mergulhar na gargalhada e acordar do outro lado. Cair no riso como quem cai no sono e no sono como quem cai ao mar. Ou antes, rir como quem se ergue, tirar o pó dos joelhos dentro dos sonhos, erguer a cabeça dentro do abismo. Ou rir como quem se afoga. Renascer de um afogamento. Acordar da morte.

- Djaimilia Pereira de Almeida

 
©️Filipe Ferreira

CENTRO CULTURAL VILA FLOR

sáb, 21h30



CENTRO CULTURAL DE BELÉM 

sex, 21h • sáb e dom, 19h


 

interpretação
Filipa Bossuet, Sara Fonseca da Graça
artista visual Kiluanji Kia Henda
instalação e figurinos Neusa Trovoada
design de iluminação Carolina Caramelo 
música e design de som Xullaji
assistência à encenação de movimento Lucília Raimundo 
vídeo promocional António Castelo
assistência geral Aoaní d'Alva
coprodução Sowing_arts,Teatro Nacional D. Maria II, no contexto da apap – FEMINIST FUTURES (projeto cofinanciado pelo programa Europa Criativa da União Europeia)
parceria Abril Abriu Comissão Comemorativa dos 50 anos do 25 de Abril, Câmara Municipal de Lisboa, EGEAC, Fundação Centro Cultural de Belém
apoio Casa da Dança, Polo Cultural Gaivotas Boavista

M/12

duração 50 min

Espetáculo já apresentado em


2 jun 2023
9 jun 2023
23 mar 2024
ver mais
ver menos
Fechar
Newsletter D. Maria II
Fechar Política de Cookies

O Teatro Nacional D. Maria II usa cookies para melhorar a sua experiência digital. Ao continuar a navegação está a autorizar o seu uso.
Consulte a nossa Política de Privacidade para saber mais sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais.

Aceitar